segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Depoimentos: "Redação nota dez"

Antes de tudo, sou brasileiro!*


por Cauê Sarmento

Raça? Raça é pastor alemão, pitbull, poodle. Não somos cachorros para termos raça. Somos todos iguais (e diferentes também). Somos humanos.

É incrível pensar que todo o preconceito que temos em relação à cor da pele de cada um exista no Brasil e nas consciências brasileiras, porque, antes de mais nada, o que define a cor da pele de um ser humano são os genes (coisas que não conseguimos ver e que muitas pessoas nem sabem que existem), e ainda, genes que boa parte dos brasileiros podem ter. Sim, um "branco" pode ter um gene "negro" e vice-versa.

Se pensarmos bem, veremos que o preconceito está presente muitas vezes inconscientemente, com expressões do tipo: "negro maloqueiro" e "branquelo riquinho". É impressionante como esse preconceito está enraizado na sociedade e nem percebemos isso, ou por acaso sua consciência pesa quando você brinca com a cor ou com as características físicas do outro?

E como resolver? Como resolveremos um mal já impregnado em nossas mentes? Lembro-me de uma música de Gabriel, o pensador: "Nenhum tipo de racismo se justifica, ninguém explica. Precisamos de uma lavagem cerebral para acabar com esse lixo que é uma herança cultural. Todo mundo é racista, mas não sabe a razão, então eu digo, meu irmão, seja do povão ou da elite, não participe, pois, como eu já disse, racismo é burrice".

* Texto produzido durante a Avaliação Interacionista por um aluno do 9º ano para a disciplina de Produção de Texto sobre o tema "Racismo no Brasil".


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário